Visitação de Nossa Senhora

Dia 31 de maio a Igreja comemora o dia de Nossa Senhora da Visitação. Muitos devem estar se perguntando o que essa data significa ou representa. E o dia que Maria visita sua prima Santa Isabel, é o mais profundo gesto de amor e servidão que podemos ver. É a primeira lição que Maria nos dá.

Lendo o livro da beata Anna Catarina Emmerich, pude relatar a forma que esse encontro se deu. Maria foi até a casa de Isabel na companhia de José, ao chegar lá, ambas cheias de saudades uma da outra se cumprimentaram de forma carinhosa, nesse abraço a beata narra que sai uma luz de Maria que irradia até a sua prima, a qual se enche de uma alegria santa. Maria, cheia do Espirito Santo, expressa com o Magnificat, toda a sua alegria e jubilo. José ficou mais alguns dias com Maria e logo depois partiu a Nazaré, acompanhado parte do caminho por Zacarias.

Maria ficou com Isabel ate o nascimento de João Batista, servindo-a humildemente. A primeira coisa que faz a mãe de Deus é servir, sem interesses. Ela não levou em conta ser a mãe do Salvador, teria o direito de ser servida, mas ao contrário, preferiu servir. Estar com Cristo é servir.

Maria estava gravida, foram necessários vários dias de viagem, certamente não foi uma viagem fácil, apenas por amor que Maria se submeteu a essa longa caminhada.

Lembremos do que Maria disse depois do anuncio do Anjo: “ Eis aqui a Serva do Senhor!”(Lc 1,38). Algumas traduções trazem no lugar de “serva” a palavra “escrava”. Para o povo judeu, ser escravo era ter um “senhor” a quem devia obediência. Eles serviam os seus senhores, mas tinham os seus direitos garantidos pela lei judaica.

Maria se fez serva em obediência, não a um senhor, ou um patrão, mas ao Senhor dos céus e da terra.

Esse gesto de Maria nos convida para também nos colocarmos como servos, escravos do Senhor. Ser servo de Deus é uma grande responsabilidade e honra, por isso, para que não nos orgulhemos desse “titulo”, Nossa Senhora nos convida a assumir a postura de nos colocarmos a serviço dos nossos irmãos.

Nós da Comunidade Católica Transfiguração, vivemos da providência de Deus, e muitas vezes precisamos ser “servidos” pelas pessoas, porém sempre que possível gostamos de ser “servos”, não apenas nos nossos retiros, aonde servimos o povo que chega em nossa casa, mas no nosso dia a dia, em um atendimento de oração, em uma visita a uma pessoa doente, e entre nós mesmos, ajudando, ouvindo, intercedendo. Quando dedicamos a nossa vida a Deus, servir não é uma obrigação, mas sim um ato de agradecimento a Ele que tanto fez por cada um de nós.

Que esta reflexão nos ajude a aprender com Nossa Senhora, a humildade e o serviço ao Senhor e aos irmãos.

Deus nos abençoe!

Por: Cláudia Brusamarello