Pular para o conteúdo

NÃO TE ESQUEÇAS, VIESTES DO PÓ!

 Com o suor do teu rosto comerás o teu pão, até que retornes à terra; porque dela foste tomado, porquanto és pó e em pó te tornarás. – Gênesis 3:19.

 

Deus criou o homem à sua imagem e semelhança, da mesma terra criou bons frutos e grandes coisas. Também criou o homem, mostrando-lhe que assim como as coisas terrenas têm um fim, sua trajetória nesta vida também o tem. Na terra encontras o fruto do teu trabalho, o alimento para tua vida e a ela retornas após o sopro do último suspiro.

O que mantém no homem a motivação para estar compenetrado e se alinhar ao plano do Criador? Sua busca pelo alto! O homem, vindo do pó, do barro, pode evocar a recordação, remeter a imaginação a um bonito vaso, ornando um local de grande destaque. Este vaso precisou sair da terra e, como barro nas mãos do Oleiro, precisou ser modulado e adequado ao propósito que o artista tinha para ele, sendo que sua total exuberância somente será possível por meio das mãos do oleiro.

Nós somos o pó, o barro, e Deus nosso Oleiro. Viemos do pó, do nada, “zerados” de boas obras. Semelhante a um computador vindo direto da loja, “embalado e pronto para o uso”, porém, se entregue em mãos erradas, este computador em pouco tempo se encherá de vírus e mallweres, que contaminarão seu sistema operacional.

Saber que sou pó me leva a atuar ciente de que estou destinado ao plano do Oleiro, é escolher deixar-se modelar, é aceitar os meios por ele escolhidos para me moldar de acordo com o propósito já estabelecido pelo Pai.

Para ser bem moldado, é fundamental a humildade, o que facilita o trabalho do Oleiro. Como diz Santa Teresinha do Menino Jesus: “O que agrada a Deus em minha pequena alma é que eu ame minha pequenez e minha pobreza.”

 

A VIDA É UMA PASSAGEM

Devemos lembrar que estamos de passagem, somos passageiros neste “terminal” chamado “vida terrena”. Podemos amar e nos doar, porém tendo sempre a consciência de que o verdadeiro tesouro está no final da viajem, na vida eterna. Ao entender que somos pó, entendemos nossa finitude. Não somos e nem seremos eternos.

Te convido a refletir neste momento: tuas atitudes têm feito valer cada segundo de tua existência? De que adiante trabalhar das oito horas da manhã até tarde da noite e perder, por exemplo, a oportunidade de acompanhar o crescimento e amadurecimento dos filhos? Por que se desgastar para conquistar fortunas e viver em mansões, se o coração está sempre vazio? O final chega rápido, como um sopro: é preciso estar atento, porque cada suspiro poderá ser o último!

 

AO PÓ VOLTARÁS

Nascemos para Deus e nossas ações nesta vida devem nos encaminhar para os altos degraus do Céu, não devemos nos contentar com os baixos degraus da santidade, mas buscar alcançar os mais elevados, não por vaidade, mas por amor ao Senhor, que tudo deu por nós – inclusive a própria vida!

Precisamos atuar com a consciência de que viemos do pó e ao pó (ao nada) iremos voltar; de que é o sopro de Deus que nos dá a vida e também a tira. “Nossa vida deverá ser sempre um ato de louvor a Deus (Padre Gilberto Maria Delfina, SJS).

 

A QUARTA-FEIRA DE CINZAS

A Quarta-feira de Cinzas foi instituída há muito tempo na Igreja, tradição que marca o primeiro dia da Quaresma, tempo de penitência, purificação e oração dentro da Igreja Católica. É um tempo oportuno para pensarmos em nossas ações e refletir sobre o quão íntimos estamos do Senhor. Na Quaresma intensificamos nossas orações e asceses (mortificações) pessoais para a purificação de nossa alma.

Convertei-vos e crede no evangelho!

Santa Maria, mãe de Deus, rogai por nós!

REFERÊNCIAS:

https://www.abiblia.org/ver.php?id=6748

https://formacao.cancaonova.com/liturgia/tempo-liturgico/quaresma/qual-o-sentido-da-quarta-feira-de-cinzas/