Liturgia Diária


3ª-FEIRA DA 13ª SEMANA - TEMPO COMUM

Falou o Senhor Deus, quem não será seu profeta?
Leitura da Profecia de Amós 3, 1-8; 4, 11-12
Ouvi, filhos de Israel, a palavra que disse o Senhor para vós e para todas as tribos que eu retirei do Egito:
'Dentre todas as nações da terra, somente a vós reconheci; por isso usarei o castigo por todas as vossas iniqüidades.
Se duas pessoas caminham juntas, não é porque estão de acordo?
Se o leão ruge na selva, não é porque encontrou a presa? Se no covil rosna o filhote do leão, não é porque agarrou sua parte?
Acaso, sem armadilha, se prende uma ave no chão? Acaso dispara a armadilha, antes de capturar a presa?
Se ressoa na cidade o toque da trombeta, não fica a população apavorada? Se acontece uma desgraça na cidade, não foi o Senhor que fez?
Pois nada fará o Senhor Deus, que não revele o plano a seus servos, os profetas.
Ruge o leão, quem não terá medo? Falou o Senhor Deus, quem não será seu profeta?'
'Eu arrasei-vos, como arrasei Sodoma e Gomorra, e ficastes como um tição, retirado da fogueira; e, contudo, não voltastes para mim', diz o Senhor.
Por isso, assim te tratarei, Israel; e, porque sabes como te vou tratar, prepara-te, Israel, para ajustar contas com o teu Deus.
Palavra do Senhor.
Na vossa justiça guiai-me Senhor!
Não sois um Deus a quem agrade a iniqüidade, / não pode o mau morar convosco; nem os ímpios poderão permanecer / perante os vossos olhos.
R.
Detestais o que pratica a iniqüidade / e destruís o mentiroso. / Ó Senhor, abominais o sanguinário, / o perverso e enganador.
R.
Eu, porém, por vossa graça generosa, / posso entrar em vossa casa. / E, voltado reverente ao vosso templo, / com respeito vos adoro.
R.
Levantando-se, ameaçou os ventos e o mar,
e fez-se uma grande calmaria.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 8, 23-27
Naquele tempo:
Jesus entrou na barca, e seus discípulos o acompanharam.
E eis que houve uma grande tempestade no mar, de modo que a barca estava sendo coberta pelas ondas. Jesus, porém, dormia.
Os discípulos aproximaram-se e o acordaram, dizendo: 'Senhor, salva-nos, pois estamos perecendo!'
Jesus respondeu: 'Por que tendes tanto medo, homens fracos na fé?' Então, levantando-se, ameaçou os ventos e o mar, e fez-se uma grande calmaria.
Os homens ficaram admirados e diziam: 'Quem é este homem, que até os ventos e o mar lhe obedecem?'
Palavra da Salvação.

SANTO IRINEU, BISPO E MÁRTIR - SANTORAL

O servo do Senhor não deve ser briguento,
mas manso para com todos.
Leitura da Segunda Carta de São Paulo a Timóteo 2, 22b-26
Caríssimo:
Procura a justiça, a fé, a esperança, a caridade e a paz com aqueles que invocam o Senhor com o coração puro.
Nega-te a disputas estultas e sem finalidade, certo de que geram contendas.
Porque o servo do Senhor não deve ser briguento, mas manso para com todos, capaz de ensinar e paciente.
Deve corrigir com mansidão os que resistem à verdade, na esperança de que Deus lhes conceda converter-se ao conhecimento da verdade,
e de que voltem com sensatez à sua vontade, livrando-se dos laços do demônio, que os tem presos.
Palavra do Senhor.
O justo tem nos lábios o que é sábio.
Confia no Senhor e faze o bem, / e sobre a terra habitarás em segurança. Coloca no Senhor tua alegria, / e ele dará o que pedir teu coração.
R.
Deixa aos cuidados do Senhor o teu destino; / confia nele, e com certeza ele agirá. Fará brilhar tua inocência como a luz, / e o teu direito, como o sol do meio-dia.
R.
O justo tem nos lábios o que é sábio, / sua língua tem palavras de justiça; traz a Aliança do seu Deus no coração, / e seus passos não vacilam no caminho.
R.
Para que eles cheguem à unidade perfeita.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 17, 20-26
Naquele tempo, Jesus levantou os olhos ao céu e disse: Pai Santo,
eu não te rogo somente por eles, mas também por aqueles que vão crer em mim pela sua palavra,
para que todos sejam um como tu, Pai, estás em mim e eu em ti, e para que eles estejam em nós, a fim de que o mundo creia que tu me enviaste.
Eu dei-lhes glória que tu me deste, para que eles sejam um, como nós somos um:
eu neles e tu em mim, para que assim eles cheguem à unidade perfeita e o mundo reconheça que tu me enviaste e os amaste, como me amaste a mim.
Pai, aqueles que me deste, quero que estejam comigo onde eu estiver, para que eles contemplem a minha glória, glória que tu me deste porque me amaste antes da fundação do universo.
Pai justo, o mundo não te conheceu, mas eu te conheci, e estes também conheceram que tu me enviaste.
Eu lhes fiz conhecer o teu nome, e o tornarei conhecido ainda mais, para que o amor com que me amaste esteja neles, e eu mesmo esteja neles'.
Palavra da Salvação.