Liturgia Diária


4ª-FEIRA DA 4ª SEMANA - TEMPO COMUM

Fui eu que pequei, fazendo o recenseamento do povo;
mas estes, que são como ovelhas, que fizeram?
Leitura do Segundo Livro de Samuel 24, 2. 9-17
Naqueles dias:
Disse, o rei Davi a Joab e aos chefes do seu exército que estavam com ele: 'Percorre todas as tribos de Israel, desde Dã até Bersabéia, e faze o recenseamento do povo, de maneira que eu saiba o seu número.
Joab apresentou ao rei o resultado do recenseamento do povo: havia em Israel oitocentos mil homens de guerra, que manejavam a espada; e, em Judá, quinhentos mil homens.
Mas, depois que o povo foi recenseado, Davi sentiu remorsos e disse ao Senhor: 'Cometi um grande pecado, ao fazer o que fiz. Mas perdoa a iniqüidade do teu servo, porque procedi como um grande insensato'.
Pela manhã, quando Davi se levantou, a palavra do Senhor tinha sido dirigida ao profeta Gad, vidente de Davi, nestes termos:
'Vai dizer a Davi: Assim fala o Senhor: dou-te a escolher três coisas: escolhe aquela que queres que eu te envie'.
Gad foi ter com Davi e referiu-lhe estas palavras, dizendo: 'Que preferes: três anos de fome na tua terra, três meses de derrotas diante dos inimigos que te perseguem, ou três dias de peste no país? Reflete, pois e vê o que devo responder a quem me enviou'.
Davi respondeu a Gad: 'Estou em grande angústia. É melhor cair nas mãos do Senhor, cuja misericórdia é grande, do que cair nas mãos dos homens!'
E Davi escolheu a peste. Era o tempo da colheita do trigo. O Senhor mandou, então, a peste a Israel, desde aquela manhã até ao dia fixado, de modo que morreram setenta mil homens da população, desde Dã até Bersabéia.
Quando o anjo estendeu a mão para exterminar Jerusalém, o Senhor arrependeu-se desse mal e disse ao anjo que exterminava o povo: 'Basta! Retira agora a tua mão!' O anjo estava junto à eira de Areuna, o jebuseu.
Quando Davi viu o anjo que afligia o povo, disse ao Senhor: 'Fui eu que pequei, eu é que tenho a culpa. Mas estes, que são como ovelhas, que fizeram? Peço-te que a tua mão se volte contra mim e contra a minha família!'
Palavra do Senhor.
Perdoai-me, Senhor, meu pecado!
Feliz o homem que foi perdoado / e cuja falta já foi encoberta!Feliz o homem a quem o Senhor / não olha mais como sendo culpado, / e em cuja alma não há falsidade!
R.
Eu confessei, afinal, meu pecado, / e minha falta vos fiz conhecer. / Disse: 'Eu irei confessar meu pecado!' / E perdoastes, Senhor, minha falta.
R.
Todo fiel pode, assim, invocar-vos, / durante o tempo da angústia e aflição, / porque, ainda que irrompam as águas, / não poderão atingi-lo jamais.
R.
Sois para mim proteção e refúgio; / na minha angústia me haveis de salvar, / e envolvereis a minha alma no gozo / da salvação que me vem só de vós.
R.
Um profeta só não é estimado em sua pátria.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 6, 1-6
Naquele tempo:
Jesus foi a Nazaré, sua terra, e seus discípulos o acompanharam.
Quando chegou o sábado, começou a ensinar na sinagoga. Muitos que o escutavam ficavam admirados e diziam: 'De onde recebeu ele tudo isto? Como conseguiu tanta sabedoria? E esses grandes milagres que são realizados por suas mãos?
Este homem não é o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, de Joset, de Judas e de Simão? Suas irmãs não moram aqui conosco?' E ficaram escandalizados por causa dele.
Jesus lhes dizia: 'Um profeta só não é estimado em sua pátria, entre seus parentes e familiares'.
E ali não pôde fazer milagre algum. Apenas curou alguns doentes, impondo-lhes as mãos.
E admirou-se com a falta de fé deles. Jesus percorria os povoados das redondezas, ensinando.
Palavra da Salvação.

APRESENTAÇÃO DO SENHOR - SANTORAL

O Senhor a quem buscais, virá ao seu Templo.
Leitura da Profecia de Malaquias 3, 1-4
Assim diz o Senhor:
Eis que envio meu anjo, e ele há de preparar o caminho para mim; logo chegará ao seu templo o Dominador, que tentais encontrar, e o anjo da aliança, que desejais. Ei-lo que vem, diz o Senhor dos exércitos;
e quem poderá fazer-lhe frente, no dia de sua chegada? E quem poderá resistir-lhe, quando ele aparecer? Ele é como o fogo da forja e como a barrela dos lavadeiros;
e estará a postos, como para fazer derreter e purificar a prata: assim ele purificará os filhos de Levi e os refinará como ouro e como prata, e eles poderão assim fazer oferendas justas ao Senhor.
Será então aceitável ao Senhor a oblação de Judá e de Jerusalém, como nos primeiros tempos e nos anos antigos.
Palavra do Senhor.
O Rei da glória é o Senhor onipotente!
'Ó portas, levantai vossos frontões! / Elevai-vos bem mais alto, antigas portas, / a fim de que o Rei da glória possa entrar!'
R.
Dizei-nos: 'Quem é este Rei da glória?' / 'É o Senhor, o valoroso, o onipotente, / o Senhor, o poderoso nas batalhas!'
R.
'Ó portas, levantai vossos frontões! / Elevai-vos bem mais alto, antigas portas, / a fim de que o Rei da glória possa entrar!'
R.
Dizei-nos: 'Quem é este Rei da glória?' / 'O Rei da glória é o Senhor onipotente, / o Rei da glória é o Senhor Deus do universo
R.
Jesus devia fazer-se em tudo semelhante aos irmãos.
Leitura da Carta aos Hebreus 2, 14-18
Visto que os filhos têm em comum a carne e o sangue, também Jesus participou da mesma condição, para assim destruir, com a sua morte, aquele que tinha o poder da morte, isto é, o diabo,
e libertar os que, por medo da morte, estavam a vida toda sujeitos à escravidão.
Pois, afinal, não veio ocupar-se com os anjos, mas com a descendência de Abraão.
Por isso devia fazer-se em tudo semelhante aos irmãos, para se tornar um sumo sacerdote misericordioso e digno de confiança nas coisas referentes a Deus, a fim de expiar os pecados do povo.
Pois, tendo ele próprio sofrido ao ser tentado, é capaz de socorrer os que agora sofrem a tentação.
Palavra do Senhor.

Meus olhos viram a tua salvação.
Depois ficara viúva, e agora já estava com oitenta e quatro anos. Não saía do Templo, dia e noite servindo a Deus com jejuns e orações.
Ana chegou nesse momento e pôs-se a louvar a Deus e a falar do menino a todos os que esperavam a libertação de Jerusalém.
Depois de cumprirem tudo, conforme a Lei do Senhor, voltaram à Galiléia, para Nazaré, sua cidade.
O menino crescia e tornava-se forte, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava com ele.
Palavra da Salvação.
Meus olhos viram a tua salvação.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 2, 22-40
Quando se completaram os dias para a purificação da mãe e do filho, conforme a Lei de Moisés, Maria e José levaram Jesus a Jerusalém, a fim de apresentá-lo ao Senhor.
Conforme está escrito na Lei do Senhor: 'Todo primogênito do sexo masculino deve ser consagrado ao Senhor. '
Foram também oferecer o sacrifício - um par de rolas ou dois pombinhos - como está ordenado na Lei do Senhor.
Em Jerusalém, havia um homem chamado Simeão, o qual era justo e piedoso, e esperava a consolação do povo de Israel. O Espírito Santo estava com ele
e lhe havia anunciado que não morreria antes de ver o Messias que vem do Senhor.
Movido pelo Espírito, Simeão veio ao Templo. Quando os pais trouxeram o menino Jesus para cumprir o que a Lei ordenava,
Simeão tomou o menino nos braços e bendisse a Deus:
'Agora, Senhor, conforme a tua promessa, podes deixar teu servo partir em paz;
porque meus olhos viram a tua salvação,
que preparaste diante de todos os povos:
luz para iluminar as nações e glória do teu povo Israel. '
O pai e a mãe de Jesus estavam admirados com o que diziam a respeito dele.
Simeão os abençoou e disse a Maria, a mãe de Jesus: 'Este menino vai ser causa tanto de queda como de reerguimento para muitos em Israel. Ele será um sinal de contradição.
Assim serão revelados os pensamentos de muitos corações. Quanto a ti, uma espada te traspassará a alma. '
Havia também uma profetisa, chamada Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Era de idade muito avançada; quando jovem, tinha sido casada e vivera sete anos com o marido.