Ministério de Artes Sem Dom!

  • por

O apostolado Artes Cênicas Sem Dom é um apostolado da Comunidade Transfiguração, ao qual hoje faço parte e com a graça de Deus sou o atual coordenador.
O Sem Dom teve início com três irmãos de comunidade, hoje dois deles são filhos de aliança do carisma, e tudo começou como uma forma descontraída de trazer para fora os irmãos que vinham em nossa casa e até mesmo os que eram da casa na época. Teve início com a Valéria de Oliveira, filha de aliança, com a Naiara da Silva, também filha de aliança e com o Thiago que também fez parte da comunidade de aliança por um tempo.
Basicamente nasceu o Sem Dom pela grande amizade que existia entre eles, e como já citado, no início o Sem Dom tinha como objetivo fazer os irmãos “envergonhados” saírem para fora e olharem a vida com um outro olhar, aonde seria muito melhor viver a vida sorrindo e ainda melhor sorrindo andando ao lado de Jesus.
Na época a comunidade não tinha como apostolado definitivo o Ministério de Artes Cênicas Sem Dom, contudo nos eventos da comunidade como aniversário fundador, festa juninas, formações, vivências de retiros, no retiro jovem Bem Perto de ti Jesus, e entre outros, nosso fundador sempre procurava os três nomes citados acima para se elaborar algo propício ao momento a ser vívido.
Em 2016 nosso fundador Jamir José instituiu o Sem Dom como um apostolado da comunidade, tendo como coordenadora a Valéria de Oliveira, e a partir daí o ministério passou a ter responsabilidade sobre todos teatros nos eventos da comunidade. Após a coordenação da Valéria passaram outros nomes importantes na coordenação do ministério, nomes estes que depois foram assumindo outras importantes responsabilidades dentro do carisma e da comunidade. O ministério é apaixonante, deixando no coração e na vida dos que participaram e participam um amor imenso ao apostolado e à missão. O Sem Dom fez e faz, como relatei no início, que saiamos para fora de nós mesmos, dando vida a um personagem que não existe com o objetivo de fazer aqueles que são expectadores a se apaixonarem e a conhecerem a grandeza de Jesus através de um teatro aparentemente bobo, simples, mas que no fim deixa sua mensagem séria do quanto somos amados por Jesus e o quão grande é o Seu amor por nós.
Até então o Sem Dom se resumia nesses fatores apresentados acima, mas com a necessidade da comunidade e da missão, o Sem Dom começou a atingir áreas que ainda não eram atingidas, a partir também de uma evangelização mais formal, iniciando no ano de 2019 e tendo como coordenador Alisson Alves. (Breve testemunho do mesmo). A partir deste momento surgiram três missões que marcaram a história do Sem Dom e sua vida, foram estas: “O silêncio não brinca”, que foi desenvolvido durante o Maio laranja e “Há outra saída” durante o Setembro amarelo. Foi desafiador para o coordenador na época porque tirou ele do campo em que ele estava habituado e colocou em um campo novo, nos colégios, encontrando uma realidade totalmente diferente da qual estava acostumado enquanto filho de vida. Foi desafiador para ele encontrar nas escolas um grande número de crianças sofrendo abusos, entre outras situações. Foi desafiador porém gratificante, poder, como missionário auxiliar crianças, adolescentes, jovens e até mesmo alguns professores, ouvindo também testemunhos de jovens que foram tocados pelo amor de Jesus. Terceiro fato importante no ano foi a missão na Bahia, em um teatro chamado “Jesus está disfarçado”. Foi muito importante também pois foi a abertura da casa de missão na cidade de Coronel João Sá, e o povo estava ansioso e esperava muito daquela semana, que a cada instante surpreendeu o povo de Deus daquela cidade. Foi uma sensação maravilhosa, como uma efusão do Espírito Santo, diz o entrevistado hoje, um agrado de Deus em sua vida em sua vocação. Foi pela responsabilidade de fechar uma semana tão importante para vida missionária da comunidade, por não estar com a equipe completa e não saber quais recursos iria encontrar, mas fim diz que tem a sensação de dever cumprido e não por mérito do mesmo, mas pela graça de Deus. A missão na Bahia deixou o apostolado com o sentimento de gratidão por que Deus enviou, capacitou, e mostrou que o ministério Sem Dom pode ir muito além e alcançar lugares aonde normalmente não alcançaríamos.
Essas foram algumas palavras de Alisson Alves, dando um breve testemunho do ano de sua coordenação. Em 2020 iniciou comigo na coordenação, Ellinthon, e iniciei com uma grande expetativa para o ano, não vou negar que tomei como um desafio pra mim. Confesso que fiquei surpreso ao saber que teria pela frente a coordenação de um ministério lindo maravilhoso, apaixonante, surpreendente e desafiador. Eu junto com minha equipe tínhamos muitas expetativas e sabíamos que o apostolado iria nos surpreender no decorrer do ano, já estavamos nos preparando para o retiro bem perto, teatro da paixão na comunidade, mas foi aí que chegou a pandemia causada pelo COVID 19, e que mudou nossos planos para o ano e de certa forma quebrou nossas expectativas, não tivemos missões nos colégios como no ano anterior, não tivemos eventos em nossa casa nossos retiros, nem sequer os eventos da comunidade, o que automaticamente atingiu também o ministério Sem Dom. Mas ainda assim neste ano gravamos o teatro na comemoração do aniversário do nosso fundador, e permaneço com o coração tranquilo esperando em Deus e aguardando confiante nele, que toda essa situação será superada e o ministério artes cênicas Sem Dom vai voltar a todo vapor. De coração desejo ainda sim fazer parte desse apostolado desse ministério que tem a missão maravilhosa de trazer a alegria de Jesus as pessoas e fazer com que estas vejam a vida de outro ângulo superando toda angústia, dando espaço aos Dons que Deus nos dá.
Somos Sem Dom só no nome, mas na verdade todos nós, os que já participaram e os que hoje participam são cheios dos Dons de Deus. Estas são algumas linhas que escrevi sobre o apostolado Sem Dom, tendo algumas palavras de Valéria Oliveira, Rafael Henrique de Souza, Alisson Alves e Ellinthon Souza.

Ellinthon Souza.